- Belung Magazine
Este site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao usar este site, você concorda com o uso deles. OK, eu concordo Mais informações

View other editions

Um dos principais obstáculos no tratamento da DPI pode ser ultrapassado

Têm-se verificado avanços no que respeita ao tratamento da doença pulmonar intersticial (DPI). O diagnóstico precoce da fibrose pulmonar idiopática (FPI), uma das formas mais comuns de DPI, tornou-se ainda mais importante com o desenvolvimento de novas opções de tratamento. Para determinar com que rapidez os doentes com FPI são referenciados para cuidados terciários, investigadores finlandeses analisaram cartas de referenciação. As suas constatações apontam para a importância de tomar medidas para reduzir o período de espera desde o início dos sintomas até à referenciação. 

early-diagnosis-belung-magazine

Segundo os investigadores, foi a primeira vez que se avaliou os procedimentos de referenciação dos doentes com FPI para cuidados terciários através de cartas de referenciação. A referenciação para cuidados terciários é importante porque o acesso tardio a estes cuidados está associado a uma maior taxa de mortalidade, independentemente da gravidade da doença. Os investigadores analisaram 95 cartas de referenciação finlandesas de doentes com FPI. Mais de metade das cartas de referenciação tiveram origem nos cuidados de saúde primários. Embora este facto sugira que os médicos dos cuidados de saúde primários parecem suspeitar de FPI bastante bem, também se verificaram determinadas lacunas comuns nas cartas de referenciação.

Os médicos que realizaram a referenciação esqueceram-se frequentemente de fornecer o historial tabágico e ocupacional 

Os investigadores concluíram, entre outras coisas, que o conteúdo da anamnese era frequentemente inadequado. Faltava um historial tabágico em 58% dos casos, apesar de este representar uma das causas mais importantes de doenças pulmonares crónicas. Os médicos que realizaram a referenciação também se esqueceram frequentemente de fornecer informações sobre o historial ocupacional e uma avaliação das exposições durante a vida laboral. Os investigadores acham que o médico que realiza a referenciação eventualmente ignora o historial ocupacional devido à idade avançada dos doentes. É, contudo, essencial recordar que algumas exposições podem representar um risco para a saúde apenas após um longo período de tempo, como é o caso da exposição ao amianto.

A disponibilização de mais informação sobre a DPI aos médicos de medicina geral e familiar pode encurtar o período de espera desde o início dos sintomas até à referenciação

O tempo médio desde o início dos sintomas até à referenciação foi de 1,5 anos, o que é um período relativamente curto para a DPI: de acordo com outros estudos, o período médio de espera desde o início dos sintomas até à referenciação é de 2,2 anos. Os investigadores pensam que o tempo de referenciação pode ser encurtado e que a qualidade das cartas de referenciação pode ser melhorada. Defendem a disponibilização de informação sobre a DPI tanto aos médicos como aos doentes. Por um lado, a disponibilização de mais informação sobre a DPI aos médicos de medicina geral e familiar pode encurtar o período de espera desde o início dos sintomas até à referenciação. Por outro lado, os investigadores defendem que a disponibilização ao público em geral de mais informação de fácil compreensão sobre a DPI pode também encurtar o período de espera desde o início dos sintomas até à referenciação. Esperamos que medidas como estas possam, em conjunto, ultrapassar este enorme obstáculo no tratamento da DPI. 

Fonte:
Minna Purokivi, Ulla Hodgson, Marjukka Myllärniemi, Eija-Riitta Salomaa, Riitta Kaarteenaho (2017): Are physicians in primary health care able to recognize pulmonary fibrosis? EUROPEAN CLINICAL RESPIRATORY JOURNAL, 2017 VOL. 4, NO. 1, 1290339 DOI: 10.1080/20018525.2017.1290339
 

disclaimer
PM/INS-181010_jun2018